quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Ela Leu #31 - Herdeira da Morte - Melinda Salisbury (@editorarocco)



O livro vai contar sobre um mundo medieval com castelos, reis, rainhas e deuses. Twylla, nossa protagonista foi escolhida pelos deuses para ser a encarnação da deusa da morte e se tornar, no futuro, a rainha. Mas nem tudo são flores e antes de assumir seu trono, Twylla é o carrasco do castelo. A benção dos deuses está em suas veias e ela agora carrega um veneno mortal, capaz de matar apenas com um toque.

E essa é a história que o livro nos apresenta nos primeiros capítulos. Nós vamos acompanhar os dramas da protagonista com essa questão do veneno e com a pressão de não poder tocar em ninguém a não ser a família real.

Tudo começa a se bagunçar quando há uma troca de guarda e antes o que era uma dupla de guardas acaba se tornando uma guarda única e ÓBVIO que vai surgir um romance.

O que é um problema sério, já que Twylla está prometida ao príncipe. Antes disso ela já tinha o destino escrito pelos deuses, ela é filha da devoradora de pecados, inclusive o nome do livro original em tradução livre é “A filha da Devoradora de Pecados”. Mas eu entendi a escolha do Herdeira da Morte ser mais impactante aqui no Brasil e no final, faz sentido com o enredo.

A rainha é uma louca nesse livro e conforme você vai lendo você vai vendo que é algo realmente problemático. Ela me lembrou um pouco a Cersei Lannister de Game of Thrones misturada com a Rainha Má de Branca de Neve e o Caçador. Parece bizarro, mas as personagens possuem características muito similares: a sede insaciável pelo poder e a ideia de não medir esforços para obtê-lo.

O único problema do livro que eu senti foi Twylla. No início temos uma personagem inabalável, que é o carrasco do castelo, segue ordens e possui uma vida rotineira e daí coma chegada de um novo guarda ela meio que perde a ideia de tudo! Isso é algo que me incomoda muito, um romance deveria ser para somar e não desestabilizar uma pessoa.

No final do livro nós temos uma reviravolta inacreditável, e uma leve “volta” da Twylla forte do início do livro o que me deixou esperançosa para o segundo, ainda sem data de publicação no Brasil. Mas pelo que eu li na sinopse vai acompanhar outra personagem, nesse caso a irmã do guarda de Twylla. O que me deixou levemente triste, já que muitas pontas ficaram soltas no primeiro livro. Que inclusive vai ser relido quando eu colocar as mãos no segundo.

As capas dos livros seguem essa ideia de uma garrafa com sangue e uma menina dentro, que provavelmente é Twylla e me recorda muito o ritual que e feito para as execuções. Lindas!



Vocês já leram algum desses? Me contem tudo nos comentários! Eu vou adorar saber a opinião de vocês! Espero vocês na próxima!

domingo, 19 de novembro de 2017

MEU CABELO CACHEADO | Depois de 2 anos natural


Nem parece que passou todo esse tempo, mas... SIM! Depois de 2 anos todo o meu relacionamento com o meu cabelo mudou. Foi tão drástico que eu realmente nem me reconheço da época do BC. Foram muitas emoções e me livrar da química foi algo que me realizou como mulher e como feminista. Através de mim outras buscaram inspiração, assumiram seus cabelos, aprenderam a ama-los e o mais importante de tudo: aprenderam a amar as diferenças.

Muito se falou do empoderamento do cabelo cacheado natural, mas esqueceu-se que a pauta não era essa e sim a ideia de respeito, independente de como o meu cabelo está.
Liso, cacheado, alisado, careca... São só demonstrações do que eu quero visíveis na minha cabeça, o respeito vem além de tudo isso.

Nesses dois anos eu aprendi a amar mais o meu cabelo é a buscar o respeito para que ele seja visto como ele é: só um cabelo. E a luta diária é pra conquistar muito mais do que a liberdade de usar ele da forma que eu quero.

E você que acabou de chegar, você pode acompanhar toda a minha trajetória registrada aqui no Ela escreveu com a Transição, BC, finalização... etc...! Foram 2 anos de aprendizagens muito importantes, e eu fico muito feliz por você estar aqui fazendo parte!

sábado, 11 de novembro de 2017

Favoritos da semana {links do coração #06}



1. DUNY HORROR STORY: DUA LIPA RULES
Já estamos cansadas de saber que o melhor a se fazer é seguir as regras da Dua Lipa, não importa o que aconteça! Vocês sabem que eu sou a louca do #GITH, então é óbvio que toda vez que sai uma novidade eu já quero que o mundo inteiro assista!



2. Calvin Harris - Faking It ft. Kehlani, Lil Yachty
Completamente viciada na música e no clipe. Essa vibe colorida e  misteriosa me conquistou muito.


3. Anavitória - Trevo (Tu) ft. Diogo Piçarra
O meu duo, a cada dia que passa, mais reconhecimento e mais amor vai recebendo e meu coração se enche um pouquinho mais toda vez que elas lançam alguma coisa. Eu amei essa versão sessions de Trevo, a voz do Diogo é uma delícia e minhas "anavitória loira e morena" continuam lindas e com as vozes incríveis que me conquistaram desde a primeira música.