ElaLeu #01 - Impressionante, mas feliz | A Hospedeira, MEYER Stephenie

♥ Stephenie Meyer, 39 anos, Connecticut. 
♥ Publicado em 2009 no Brasil pela editora Intríseca.
♥ Narração em primeira pessoa em ordem cronológica.
♥ Personagens principais: Melanie, Peregrina, Jared, Ian e Buscadora
♥ Fictício, futurista. Romance entre duas pessoas entretanto é um triângulo amoroso.



SINOPSE: Melanie Stryder se recusa a desaparecer. 
Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.




Não estou dizendo que sou totalmente contra finais felizes e que o bom seria que a bruxa má do leste ganhasse e pronto. Mas A Hospedeira, livro de Stephenie Meyer tinha tudo para terminar de forma totalmente arrebatadora. Um triângulo amoroso, dois corpos e um intruso. 
Não vou dizer que sempre fui da torcida de Melanie, me apaixonei por Peregrina. Ela nos dá uma visão tão bonita do mundo, mostra que ele ainda tem salvação. Sem falar que nos momentos onde a buscadora, a "inimiga" da série, aparecia sempre ficava com uma tensão muito boa que fazia com que eu não soltasse o livro até que tudo se normalizasse. 
Com 59 capítulos, prólogo e epílogo, o enredo se passa em um futuro não muito distante no planeta terra, onde seremos todos manipulados por seres incrivelmente superiores e inteligentes. 
Vou confessar que na primeira vez em que li o livro (em 2009) não lembrava porque não tinha gostado tanto da história. Mas ao reler atualmente me lembrei: a autora sempre busca um final feliz para todos. Particularmente acho que, se não acabasse como acabou, a autora não seria tão prestigiada. Vou confessar que preferiria o final do jeito que acredito ninguém preferiria, mas o livro é muito bom e instigante e Stephenie, por mais que seja clichê em suas obras, me encantará em todas.

Na época, estava ainda iludida com a questão de Crepúsculo, mas dei uma chance ao livro. 
Indico ele para pessoas que adoram um romance futurista clichê, inclusive eu mesma adoro pra ser sincera.
A estória chega em um momento onde já não se pode definir quem é vilão e mocinho, já que são perspectivas diferentes. Peregrina quer proteger Jamie e Jared que é o amado de Mel que odeia Peregrina que é amada por Ian e Jamie e por aí vai.
As questões de rejeição, medo do novo e o fator surpresa, são bem evidentes com os personagens de ambos os lados, o que nos aproxima da realidade. Mudar de escola é tão assustador quanto mudar de quarto nas cavernas.
E também as questões de amor e paixão são tratadas de forma inacreditavelmente intensa no livro, que é capaz de deixar sim, qualquer um suando frio.


xoxo, Monique Cristine.







Comentários